segunda-feira, 10 de março de 2008

 

Chagdud Gonpa: O Darma no Brasil

Uma visita durante o encerramento do ano novo tibetano

Paulo Stekel



(Chagdud Gonpa Khadro Ling, em Três Coroas, RS. * Todas as fotos foram tiradas pelo autor)

Espetáculo de Ano Novo

Já visitamos o templo budista tibetano em Três Coroas (RS) diversas vezes. Mas esta foi a primeira vez que assistimos a tradicional dança dos lamas, um espetáculo belíssimo de som, cores, movimentos graciosos e atmosfera espiritual que ocorre no final do Drubtchen de Vajrakilaia.

O Chagdud Gonpa Khadro Ling, localizado em Rodeio Bonito, Três Coroas (RS) é um centro de prática do Budismo Vajraiana Niyngma fundado por Sua Eminência Chagdud Tulku Rinpoche, que em 1995 se mudou dos EUA para o Brasil, com a intenção de instalá-lo na serra gaúcha.


(Detalhes do alto do Templo Khadro Ling)

O Khadro Ling, sede do Chagdud Gonpa Brasil, é um local dinâmico onde praticantes do Budismo Varjayana e visitantes do mundo todo se reúnem em um ambiente sagrado. Ali são realizadas cerimônias e transmitidos ensinamentos da linhagem Nyingma do Budismo Tibetano.

Kha significa céu; Dro significa mover-se, ir, dançar; Ling significa local sagrado.

O templo foi construído numa área que possui uma vista belíssima, como mostram as fotos que tiramos por ocasião do Drubtchen.


(Bandeiras de oração no telhado do Templo)

Realizado de 02 a 10 de fevereiro último, o Drubtchen de Vajrakilaia ajuda seus participantes a vencer os obstáculos ao caminho espiritual, derrotar seus venenos mentais e “demônios internos” e a afastar a hostilidade e as calamidades externas. O Drubtchen contou com a participação de mais de 150 praticantes.

A dança dos lamas encerra as comemorações do Losar, o ano novo tibetano, que segue um calendário lunar sendo, portanto, uma data móvel. Muitos lamas estiveram presentes, entre eles Lama Chagdud Khadro (diretora espiritual do Khadro Ling), Lama Tsering Everest (Chagdud Gonpa Odsal Ling, SP), Lama Padma Samten (Caminho do Meio, Viamão), Lama Sherab Drolma (administradora do Chagdud Gonpa Brasil) e diversos outros, incluindo alguns tibetanos e butaneses.


(Da esq. para dir.: Lama Chagdud Khadro, Diretora espiritual do Chagdud Gonpa, e Lama Tsering Everest, do Chagdud Gonpa Odsal Ling, São Paulo)


(Lama Padma Samten, do CEBB - Viamão, RS)


(Vários lamas estavam presentes, vindos de várias partes do mundo)


(Centenas de pessoas, entre praticantes e visitantes, assistiram a apresentação da Dança dos Lamas, no dia 10 de fevereiro)

Após a apresentação, o templo foi aberto à visitação pública. A arquitetura imponente, as pinturas belíssimas e os detalhes minuciosos encantaram os visitantes.

A visita ao templo

Uma vez, Sua Eminência Chagdud Tulku Rinpoche falou sobre a importância de se visitar o templo:

“Este templo foi construído com o propósito de beneficiar todos que o vêem, que escutam falar dele ou até mesmo que ouvem o vento soprando por suas paredes; todos que caminham sobre seus pisos ou que se lembram dele.

O templo é um receptáculo para a energia iluminada do corpo, da fala e da mente. As pessoas podem visitar o templo como turistas que querem ver uma novidade e objetos interessantes. Podem, também, vir com a intenção de encontrar alívio para situações difíceis como problemas físicos, emocionais, financeiros ou de relacionamentos, que são parte integrante da nossa condição humana.



(Presença de Lucélia Santos, ela mesma uma praticante do Darma)


(Instrumentos tradicionais tibetanos)

A fonte do sofrimento pode ser purificada quando vamos a uma igreja ou a um templo, rezamos com profundo arrependimento, fazemos o compromisso de não repetir os erros e pedimos pelas bênçãos de absolvição dos seres iluminados.

Ao reconhecer que a fonte da felicidade é a virtude, o templo oferece uma oportunidade para se fazer oferendas de água, lamparina, incenso e flores. Os seres iluminados não precisam dessas oferendas, mas, pela generosidade da sua ação você cria méritos, que são a fonte de felicidade. A sabedoria da realização espiritual surge do mérito, como também o bem-estar e prosperidade presentes e futuros.





(Momentos da primeira dança)

Por fim, as orações que oferecemos com intenção pura e compassiva e a virtude que elas geram são incrementadas pela dedicação. Ao invés de nos apegarmos às nossas virtudes, com um coração aberto as oferecemos para o benefício de todos os seres. Dedicar a nossa virtude dessa forma assegura não só que ela jamais será exaurida como também que se expandirá continuamente. Assim, um único ato de uma visita ao templo pode se tornar uma fonte de bondade para todo o universo.”


(Chagdud Khadro, Diretora espiritual do Chagdud Gonpa)

A Terra Pura de Padmasambava

Além do templo já conhecido, outro está sendo construído no Chagdud Gonpa Khadro Ling. Trata-se de uma réplica da Terra Pura de Padmasambava, Zangdog Palri (A Gloriosa Montanha Cor de Cobre).

A construção desta réplica foi o último grande desejo de Chagdud Rinpoche, que faleceu logo após ter adquirido a terra ser sido adquirida e quando a planta estava em seus estágios iniciais.

Padmasambava (“nascido do lótus”), também chamado de Guru Rinpoche (“Mestre Precioso”), cujo surgimento foi profetizado por Buda Shakiamuni, propagou os métodos do Budismo Vajraiana no séc. VIII, no Tibete.



(Excelente performance de Lama Sherab Drolma durante a segunda dança dos lamas)

Quando Padmasambava partiu desta terra na forma de luz de arco-íris, manifestou a Terra Pura de Zangdog Palri. No topo dessa montanha em formato de coração está o palácio esplêndido de Pema Od (Luz de Lótus). Mestres realizados de meditação que têm devoção a Guru Rinpoche vão até lá em sonhos e visões e após a morte.

O templo de Padmasambava deve ser inaugurado ainda este ano, e contará com cerimônias extensas e muito bonitas. Tivemos a oportunidade de visitá-lo ainda nesta fase de construção. O prédio já impressiona, com suas dezenas de estátuas de deidades budistas. Uma estátua central de Guru Rinpoche, ainda sem a pintura, tem alguns metros de altura. Artistas butaneses e seus auxiliares brasileiros trabalham intensamente para deixar tudo pronto ainda em 2008.



(Deidades iradas durante a terceira dança dos lamas)

Quem foi Chagdud Tulku Rinpoche

Sua Eminência Chagdud Tulku Rinpoche nasceu no leste do Tibete (Kham) em 1930. Reconhecido aos quatro anos como um tulku (encarnação de um mestre de meditação), recebeu treinamento rigoroso e aprofundou os seus estudos em retiros extensos. Ele tinha uma afinidade especial pelas artes sagradas e pela medicina tibetana e era famoso por sua voz maravilhosa como cantor.

Em 1959, ele escapou da ocupação comunista do Tibete e viveu exilado em comunidades de refugiados na Índia e no Nepal até se estabelecer nos Estados Unidos em 1979. A pedido dos seus alunos ocidentais, estabeleceu a Fundação Chagdud Gonpa, uma bem-sucedida rede de centros da linhagem Nyingma do Budismo Vajraiana. Em 1994, Rinpoche mudou-se para o Brasil, estabeleceu o Chagdud Gonpa Brasil e começou a construção do seu centro principal, Khadro Ling, no Rio Grande do Sul. Quando morreu, em 2002, ele havia estabelecido mais de vinte centros no Brasil, Uruguai e Chile.





(Momentos da quarta e última dança dos lamas)

Ao viajar e ensinar constantemente, irradiando entusiasmo e compaixão, tornou-se o lama do coração de centenas de alunos e foi uma inspiração profunda para milhares de outros. Quando lhe perguntavam por que, aos sessenta e quatro anos, mudou-se para a América do Sul ao invés de permanecer confortavelmente nos Estados Unidos, respondia: “percebi a fé dos brasileiros e o seu interesse no Budismo e quis ensiná-los”. [fonte: http://www.chagdud.org]


(Visitação ao interior do Templo, onde não é permitido fotografar)

Quem é Chagdud Khadro

Chagdud Khadro conheceu Sua Eminência Chagdud Tulku Rinpoche em 1978, casou-se com ele em 1979 e foi sua aluna dedicada por vinte e três anos. Ao ordená-la lama, em 1997, Chagdud Rinpoche designou-a como a futura Diretora Espiritual do Chagdud Gonpa Brasil.

Desde o parinirvana de Rinpoche, em 2002, ela tem se concentrado em dar continuidade ao treinamento Vajraiana de alta qualidade estabelecido por ele. Khadro supervisiona as atividades e ensina em todos os centros do Chagdud Gonpa Brasil e Chagdud Gonpa Hispanoamérica. Ela também concede ensinamentos na Europa, Estados Unidos e Europa e Austrália.
[fonte: http://www.chagdud.org]


(Maravilhosa paisagem visível do alto do Khadro Ling)



(O Palácio de Padmasabava, ainda em construção)


(Estátua de Tara Verdade junto a uma fonte)


(O Khadro Ling numa visão frontal)


(Estátua do Buda Akshobia)


(Detalhe da base da estátua do Buda Akshobia)



(Estupas, relicários)


(Detalhe da base de uma das estupas)



(Estátua de Guru Rinpoche, Padmasambava)


(Panorama das estátuas de Guru Rinpoche, Akshobia e das estupas do Khadro Ling)


(Tormas, oferendas)


(Rodas de oração da entrada do Templo)


(O Templo Khadro Ling, em todo seu esplendor, apesar do tempo nublado)

Quem deseja saber mais sobre o Chagdud Gonpa Khadro Ling ou sobre os demais centros de prática espalhados pelo Brasil e pelo mundo, acesse o site:

http://www.chagdud.org

Comments: Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?